terça-feira, 6 de junho de 2017

Loev



O cinema indiano nunca foi minha praia. Ou é tudo meio sem pé nem cabeça, ou meio infantiloide (o que é quase a mesma coisa, rs). Um amigo, sabendo que eu havia amado Esteros, me recomendou esse longa indiano: Loev. Esse amigo entende os meus gostos...

A história é simples: um músico amador (Sahil), que namora Alex, um carinha irresponsável (aparentemente... no fim saberemos que nem tanto, rs), aguarda ansiosamente o final de semana, quando irá se encontrar com um amigo “das antigas” (Jai), que não vê há muito tempo. E o filme nos conduzirá, de forma naturalista (adoro!), a esse encontro. Ou seria confronto? Os dois são de Mumbai. Sahil é o que ficou, atolado no seu passado, com uma visão de mundo sem ambição. Jai foi o que partiu para New York - procurando o seu futuro – onde se tornou um executivo de sucesso.

Sahil é quem escolhe tudo: os passeios, onde ficar, o que ver - aliás, que fotografia deslumbrante! Jai é quem tentará mergulhar nessa atmosfera, sem querer/poder se “desligar” do seu mundo-business. Mas, afinal, é apenas amizade que os une, ou tem algo mais? Óbvio que tem, né! E é lindo assistir a esse encontro/confronto! Quando os relógios dos corpos anseiam a sintonia, mas os mundos, os desejos e mesmo a própria aceitação da sexualidade (Jai não se sente muito a vontade com a sua) andam anacronicamente, o simples torna-se bem complicado. Oh angustia! (rs)         

Para mim, de certa forma, é um enredo bem conhecido. Vivi algo semelhante. E hoje, trocentos anos depois, ainda não sei se me arrependi do rumo que tomei na vida. Agora, as cenas finais... não teve como: o meu “filme” voltou forte!

Enfim, pra quem quiser arriscar, vale a pena! Além do que a trilha sonora é linda! E eu acabei descobrindo (parece piada pronta, rs) que tem um indie/hindi bem bacana lá por aquelas bandas.
 
Ah, nota final: Dhruv Ganesh, o ator que faz o Sahil, morreu (29 anos) de tuberculose, antes do lançamento oficial do filme. Dureza...



10 comentários:

  1. Assisti na semana passada... como você disse, achei meio sem pé, nem cabeça.

    Mas é interessante a luta interna de Sahil e Jai, por motivos diferentes, claro!

    Ate mais

    ResponderExcluir
  2. Me pareceu interessante ... a fotografia também parece incrível, como vc disse ...

    ResponderExcluir
  3. Ganesha Papai, bora conferir essa dica! ;)

    ResponderExcluir
  4. Acabo de assistir . Não teve um final feliz mas a imagem é perfeita e condiz com uma realidade atual .

    ResponderExcluir
  5. que dica legal! e nao parece um filme indiano "tradicional"... acho que vou gostar... vou separar um tempo para assisitr no fds abraços!

    ResponderExcluir
  6. Eu adorei o filme. O ator que faz o Jai é gatissimo. Que olhar ele tem. Profundo... Mas achei o personagem quase um Sr. Big de sex and city. O que me fez adorar mais ainda o filme. Amei a dica!

    ResponderExcluir
  7. Assisti ao filme e fiquei maravilhado com a riqueza de detalhes que a história conta. Um drama vivido por muitos com certeza, embora eu no tenha concordado com o final, pois o amor de jail era estampado e merecia ser correspondido da forma correta. Lindo a Netflix está de parabéns com esse filme. Outro que recomendo é 4 Lunas muitoooooo toppppp

    ResponderExcluir
  8. Perfeito o filme. Acabei de assistir. Mostra uma originalidade e tanto. Realmente,condiz com a realidade de muitos.

    ResponderExcluir
  9. Bom filme, revela o eterno conflito de muitos, a razão ou emoção?

    ResponderExcluir
  10. achei o filme maravilhoso e imagino o cuidado para ser filmado com tanta homofobia indiana ,,,,pena que não acaba como nos contos de fada e transmite uma realidade de muitos ........muito boa a Dica

    ResponderExcluir